domingo

Caixinhas de pixels

Há presentes que chegam em caixas. De porcelana pintada. Bordadas de pedraria. Reluzindo madrepérola. Com fitas, fendas, dobras. Contêm a maciez do açúcar, o perfume dos guardados, a cor terna das folhas velhas.

Há outros que chegam em arquivos lacrados nas caixas de emails. Mas carregam a mesma intenção secular do carinho. Derramando flores nas lonjuras que atravessam, cortando caminhos espessos, conduzidos por um fio.

Tenho recebido muitos destes. De pessoas tão amorosas e queridas. Que nem sei se mereço tanta delicadeza. O mais recente veio da menina mais doce desse mundo. Uma canção que faz a gente levitar feito pluma levada pelo vento. A “coisa mais linda”, como ela mesmo definiu.

Quando Beatriz e Caiana te perguntarem, Dionísio,
se me amas, podes dizer que não.
Pouco me importa
ser nada à tua volta,
sombra, coisa esgarçada
no entendimento de tua mãe e irmã.

A mim me importa, Dionísio, o que dizes deitado ao meu ouvido
e o que tu dizes nem pode ser cantado
porque é palavra de luta e despudor.
E no meu verso se faria injúria
E no meu quarto se faz verbo de amor.

(Poema V de Ode Descontínua e Remota para flauta e oboé..., de Hilda Hilst - Mágico na canção de Zeca Baleiro e na voz de Ângela Ro Ro)

9 comentários:

Sara disse...

Que lindo isso e vamos combinar né, esse cd é tudo de bom. bjs!

Lou Salomé disse...

Bom, vamos por partes, que tenho muitas coisa a dizer:
1 - eu não conhecia esta canção-poema, e agora fui arrebatada com tanto amor, porque acho que é isso o amor, sobretudo não se importar em ser nada à volta de alguém, e ser muito.
2 - As cenas de aeroporto, já vivi tantas, muitas delas em estações de trem (mas é igual, né?) Há muitas dores por trás de cada gesto, sabe? Talvez não seja tão bom assim.
3 - seus exercícios-poemas (e eu, hoje, com mania de substantivos compostos) são belos, não precisa mais exercitar :-)
4 - eu muito me engano ou estive aqui ontem e não tinha tantos posts?
Beijos
Lou

Renata disse...

Eita que assim eu fico besta, Dai... Beijo bem grande!

Camille disse...

Presente é sempre bom, ainda mais quando é delicado. Delicadeza é sempre bom, né? Eu ando flutuando em delicadezas e se você as recebe, pode contar que as merece. Beijos grandes.

Julie disse...

Nossa!
Como é bom passar por aqui e te ler!
Beijinos, Querida

Ingrid Littmann disse...

Senhora da Lua, que coisa mais linda quanto sentimento para descrever.......Quero ver essas caixinhas, cheira-las, senti-las é puro amor.

beijos

Sara_Evil disse...

Delicadas caixas que ressoam o toque de dos dedos nas teclas que as desenham linha a linha, construindo os tecidos de uma delicada afetividade.

Grato!

A você e a sua amiga!

S_E

Mani disse...

Deixei um convite indiscreto pra voce no blog...

Sandrinha disse...

Tão belo quanto o outro blog!
Essa Dadá.... Só fazendo coisa bonita!!! =)